domingo, 24 de abril de 2016

Fastio

Sempre admirei pessoas sem papas na língua, cuja genuinidade é espontânea e verdadeira.

Cada vez mais sinto um crescente fastio por seres, que se consideram o centro do universo e se auto promovem, manipulando descaradamente quem lhes surge no caminho. 

Causam-me falta de ar, náuseas e com precisão admito distingui-las sem dificuldade, embora do alto do seu ego enganam-se a si mesmas, pensando que sou desprovida de sentido crítico e análise.

Admito que me divirto interiormente por fazê-las acreditar que não lhes esvazio o pensamento e a falta de boa fé que lhes é própria. 

Só posso afirmar que quando chegaram, eu já cheguei muito antes e não, não lhes desejo mal, aliás , apenas distância.

Esmy 


6 comentários:

  1. Essas pessoas acabam por me divertir...é tão grande a indiferença que sinto.

    ResponderEliminar
  2. Confesso que não sinto total indiferença, mas que me divirto, ai divirto por dentro ;)

    ResponderEliminar
  3. Como dizia um bêbedo famoso aqui no burgo, na década de 70, o desprezo é a maior estalada. ahahah

    ResponderEliminar
  4. Preferia não sentir nada e de preferência não ter de me cruzar com seres desta natureza ;)

    ResponderEliminar
  5. Eh pá, eu sou desbocada... Presumo que gostes. Eu gosto de ti.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É por isso que eu gosto de ti, eheheh!

      Eliminar