terça-feira, 6 de setembro de 2016

Setembro






Setembro aproximou-se vertiginosamente e chegou de mansinho, disfarçado de calor e pores-do-sol de cortar a respiração. 

Ela não o desejava, preferia assinalá-lo na agenda, como um futuro longínquo. Aquele mês era sinal de fumaça, de verão inacabado, de dias curtos e noites frescas, mas aquele misterioso resolveu entranhar-se na sua alheada existência, sem aviso prévio, sem que ela o percepcionasse, nem o tivesse convidado a entrar na sua casa de cores quentes e vibrantes.

Não lhe desejava mal, mas suplicava-lhe distância, quando lhe começava a sentir o gosto ardiloso das falsas sensações.

Conhecia-o pela transição, pela passagem subtil, sem aviso prévio, apenas o desejo de que se demorasse mais do que podia, uma vez que ainda não era capaz de encarar de frente os dias encurtados, a queda das folhas, os tons alaranjados da estação que iria dar à luz.

Preferia não ter de lhe desgostar o cheiro, esconder-se algures, mas no fundo tinha a convicção de que o melhor era preparar o espírito e o corpo para a necessária transformação...


Esmy 

9 comentários:

  1. :O Visivelmente impressionado pela qualidade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou a manager dela, um doce de mulher, não faz a uma mosca, ja a uma aranha, compreende-se. Para entrega de Cv's mandar mails para mim e farei triagem. Porque tesourinhos destes já não não se fazem... Porque esta mulher tresanda a "cólidadade"
      É comprometido, tem amigos por certo lol

      Eliminar
    2. Ahahah, só tu para me fazeres rir logo pela manhã :)

      Eliminar
  2. De mansinho?
    Esmy, amor, tu escreves muito bem até com o Demo aqui no primeiro andar... KÓRROREEEEEEEEEE

    ResponderEliminar